(Minhas) regras de etiqueta. No Facebook

capa-14

Não sou a dona da verdade (sou sócia, apenas), mas tem um tipo de comportamento que eu acho tenebroso em redes sociais- no Facebook, em particular. Sujeito que resolve contrapor agressivamente um comentário que você fez em seu perfil social.

Meu perfil é onde posso me expressar. Guarde devidas proporções: se meu comentário não configurar crime, posso promover meu mau gosto às multidões. Democracia é isso mesmo, né, Brasil?

Eu sei que não dar palpite no comentário do coleguinha que pensa diferente é complicado. Por muitas vezes, falhei ao ler posts que considerei absurdamente boçais, porque os respondi (às vezes, com educação, às vezes, não) – e, em geral, paguei caro.

Digo que paguei porque respondi a pessoas que me importavam. Amigos, familiares, conhecidos que queria bem e que considerei equivocados. E é bem ruim acabar destruindo uma relação por mensagens escritas no calor da hora (sem uma entonação e um olho no olho para aliviar).

Acho que me curei desse vício. Em geral, ignoro posts dessa natureza que vêm de pessoas queridas. No máximo, lanço um questionamento. De leve. Não retruco e não sigo no assunto. Acho chato.

Daí que eu queria que Deus iluminasse a cabeça de umas criaturas que me seguem no Facebook. Gente que eu nem conheço e que entra lá postando piadinha pra atrair “discutissão”. Em geral, como boa ditadora, eu apenas deleto o “amigo”. Sem papo e sem dor.

Mas, esses dias, eu resolvi chamar pra conversa (virtual), um provocador que nunca vi na vida, mas que foi defender o Bolsonaro nesse vídeo vexatório:

https://www.facebook.com/plugins/video.php?href=https%3A%2F%2Fwww.facebook.com%2FMachoPassandoVergonha%2Fvideos%2F976048665865158%2F&show_text=0&width=560

Tivemos uma conversa bem bacana. Eu queria saber como um cara esperto como ele podia apoiar um homem que é xenófobo, misógino e racista. Ele apresentou várias inseguranças suas sobre a segurança pública etc, não saquei tudo, mas achei que tínhamos compreendido e respeitado nossos pontos de vista. Nos despedimos de boa.

Eu já estava me sentindo a Madre Tereza da Rede Social quando, no dia seguinte, outros amigos leram a minha postagem e começaram a fazer comentários. Depreciativos ao sujeito que “estrela” o vídeo, evidentemente. Mas não é que a criatura começou a atacar todos os meus amigos?

Os comentários foram de uma “profundidade” desconcertante. “Pra mim deu” na hora que ele disse que sentiu cheiro de pão com mortadela no comentário de uma amiga.

Deletei-o.

Mas fico me perguntando se eu não tinha de ter conversado mais um pouco com ele. teria feito diferença?

O que vocês acham?

Anúncios

2 comentários Adicione o seu

  1. Jussara Duzzo disse:

    Tô nessa Tatiana! Bem assim! Não tenho mais a mínima paciência pra fazer o contraponto, é simplesmente…IGNORO. Deleto a criatura quando ela economiza respeito comigo e com meus amigos.
    Et… Aí revoir😍😘

    Curtido por 1 pessoa

    1. tatipy disse:

      Melhor que bater boca né? Beijão, querida!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s