“The Urso Polar Show”

20171022_163957.jpg

No meu primeiro domingo em Toronto, fui, com minhas duas roomates, visitar o zoológico local. Havia pelo menos 15 anos desde a última vez que havia visitado o zoo de Sapucaia (RS) e jurado nunca mais voltar.

Em Sapucaia, vi um hipopótamo chafurdando numa piscina de lama quase seca, um urso-de-óculos numa jaula que mais parecia um corredor e outras dezenas de casos de desrespeito aos animais selvagens.

Saí indignada, ainda que soubesse que a aceitação de um zoológico, muitas vezes, é a única opção viável para a manutenção da vida de animais sequestrados de seus habitats naturais por caçadores e traficantes.


E eis que, em outro país, me deparei com a oportunidade de ver realidade diferente em um zoológico – e em um aquário.

Eu não poderia deixar de ver como era.

A bem da verdade, o zoo daqui é “outro mundo” perto do que conheci. Pra começar, é gingantesco. Uma área de 700 acres, dividida em sete regiões zoogeográficas (Indo-Malaya, África, Américas, Tundra Trek, Australásia, Eurásia e Domínio do Canadá) que apresentam 5 mil animais.

A maior parte da área é ao ar livre. Os animais vivem em recintos grandes (não saberia julgar se são adequados), mas que parecem emular seu habitat. Nos 20% de área coberta, os animais contam com climatização e iluminação que, em tese, deveria lembrar suas casas originais.

Gostei disso, mas não fiquei apaixonada pelo zoo. É muito grande.

Fomos pra lá tarde e nos perdemos várias vezes (apesar de termos um mapa em mãos). Não conseguimos ver os principais animais da savana africana, porque eles são recolhidos cedo.

Estávamos empolgadíssimas para ver os pandas, mas os três filhotes dormiram o tempo todo e o único adulto se empanturrou de bambu a tarde toda, ignorando-nos.

Bem que ele fez.

20171022_162207

Show mesmo deu um dos quatro ursos polares do parque, que teve uma crise de coceira e roçou a bunda na nossa cara por meia hora.

Humanos ficam felizes com cada coisa, né?

Através do vidro, fizemos amizade com aquela bola de pelos.

“Se não houvesse vidro, ele comeria você!” – comentou Dave, um de meus professores, quando contei sobre meu amigo novo.

20171022_163721

Pelo menos Dave ficou satisfeito de eu ter escolhido um animal da tundra como favorito:

Todo mundo gosta do panda. Eu os detesto. Sabe porque estão em extinção? Porque são preguiçosos! Eles não querem transar!”

Eu também prefiro comer. Bambu.

Cliquem, curtam e compartilhem! Espalhem a palavra do amigo urso, amigos!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s